Música para casamento e direito autoral. Já teve problemas?
04-Nov-2010, 15:44 #1  
Celso (Moderador) está offline Celso (Moderador)
Data de Entrada: Aug 2010
Estado: São Paulo e Grande SP
Mensagens: 13
Cobrança de Direitos Autorais em Casamentos. Alguém já viveu isto?

Nesta semana, li um artigo de um jurista afirmando que a cobrança de direito autoral sobre músicas em festas de casamentos é ilegal. Num dos pontos, destaca a falta de clareza e bom senso do ECAD - associação responsável por esta cobrança.

Já tive dificuldade em conseguir informações e licenças com o ECAD para um trabalho de publicidade, anos atrás, mas nunca tinha ouvido falar de problemas em festas de casamento.

Alguém que já passou por isto poderia compartilhar conosco o que houve e como se desenvolveu o assunto?

E quem não passou e ainda está para casar. Vocês já pensaram sobre isso? O que pensam a respeito?

Segue trecho da notícia, e o link logo abaixo.

"
Alguns noivos que planejam comemorar seu casamento têm se deparado com mais uma despesa em meio a tantas outras que surgem nesse período. Trata-se da contribuição ao ECAD – Escritório Central de Arrecadação e Distribuição de Direitos Autorais a título de retribuição autoral. Fosse tal valor simbólico, não chamaria a atenção de muitos nubentes que, decerto, não se oporiam ao pagamento. Todavia, a instituição, associação civil de natureza privada, estabelece os valores sem qualquer limitação, baseada apenas em seu próprio regulamento.

O ECAD

Conforme disciplina seu estatuto,

O Escritório Central de Arrecadação e Distribuição, que adota em sua denominação a sigla ECAD, é uma associação civil de natureza privada sem finalidade econômica e sem fins lucrativos, com prazo de duração indeterminado, constituída por associações de direitos de autor e dos que lhes são conexos, na forma do que preceitua a Lei n.º 5.988/73, com as alterações ditadas pela nova Lei autoral de nº 9.610/98, de 19 de fevereiro de 1998. [01]

A Lei 9.610/98, que consolida a legislação sobre direitos autorais, prevê em seu art. 99 que as associações de titulares de Direitos de Autor manterão um único escritório central para a arrecadação e distribuição, em comum, dos direitos relativos à execução pública das obras musicais e lítero-musicais e de fonogramas, inclusive por meio da radiodifusão e transmissão por qualquer modalidade, e da exibição de obras audiovisuais.

A lei, entretanto, nada disciplina sobre a efetiva cobrança da retribuição autoral. Não há nenhuma menção sobre parâmetros, bases de cálculo ou quaisquer outras especificações, deixando assim as associações e o escritório livres para disporem sobre o assunto como lhes convierem.

A COBRANÇA

Para a realização de eventos em espaços e casas destinadas a este fim, o ECAD cobra um valor discricionário a título de retribuição autoral. Esse valor é fixado após preenchimento de um formulário, mas os critérios de cálculo não são claramente divulgados ao contribuinte. Ora se utiliza o critério da área espacial, ora um percentual sobre o valor do aluguel do espaço utilizado.

Vale ressaltar também que se a festa ocorrer em salões anexos de igrejas ou salões de festa de edifícios residenciais a cobrança não é efetuada. Ora, mas que diferença há na natureza da festa de casamento seja ela realizada no anexo da igreja, no salão de festas do edifício ou numa casa de eventos (buffet)?"

Segue o link para o artigo inteiro http://jus.uol.com.br/revista/texto/12589/da-ilegalidade-da-cobranca-de-contribuicao-ao-ecad-em-festas-de-casamento

Músicas próprias
28-Jul-2012, 13:17 #2  
Vinicius está offline Vinicius
Data de Entrada: Jul 2012
Estado: Piauí
Mensagens: 1
Eu estou noivo e estou pensando em compor músicas para o meu casamento, mas também quero fazer arranjos para ele de músicas que eu e ela gostamos.
Acredito que como se trata de uma festa particular não existe problemas quanto aos direitos autorais.

ECAD - O arrecadamento NÃO se aplica à eventos sociais
08-Mar-2013, 14:32 #3  
DJ David WS - Sunlight Eventos está offline DJ David WS - Sunlight Eventos
Data de Entrada: Mar 2013
Estado: São Paulo e Grande SP
Mensagens: 1
Bom dia, Noivos e Noivas!
É uma grande polêmica quando se trata da arrecadação de direitos autorais. Um assunto que traz à toda não só a arrecadação do ECAD quanto também a taxa previamente já imposta por alguns espaços para eventos.
Entendamos que as leis de recolhimento das taxas do ECAD, não se aplicam ao seu evento que possui um caráter social. A Lei 9610/98 diz:



Art. 29. Depende de autorização prévia e expressa do autor a utilização da obra, por quaisquer modalidades, tais como:

[...]

VIII - a utilização, direta ou indireta, da obra literária, artística ou científica, mediante:

b) execução musical;

c) emprego de alto-falante ou de sistemas análogos;

f) sonorização ambiental;

[...]

Art. 46. Não constitui ofensa aos direitos autorais:

VI - a representação teatral e a execução musical, quando realizadas no recesso familiar ou, para fins exclusivamente didáticos, nos estabelecimentos de ensino, não havendo em qualquer caso intuito de lucro;


Sendo assim, tanto no texto da lei, bem como o seu escopo, fica claro que a execução musical em casamentos não viola direitos do autor e prescinde de autorização para a sua utilização.

Vejamos os fatores que conduzem a essa constatação:

I.A interpretação teleológica mostra que o escopo da lei é evitar que terceiros obtenham indevido proveito (econômico, político, publicitário etc.) mediante utilização não autorizada de obra intelectual alheia – o que não ocorre numa festa privada.

II.O casamento se trata de uma festa privada, fechada, íntima, em que estão presentes apenas familiares e amigos do casal, podendo, portanto, essa ambientação ser entendida como recesso familiar, não havendo assim violação de direitos autorais na execução musical e/ou sonorização ambiental, conforme dispõe o art. 46, VI.

III.Na festa de casamento não há cobrança de ingressos, taxas ou contribuições de qualquer natureza, restando mais que evidente não haver nenhuma intenção de lucro.

IV.Reforçando o disposto no art. 46, o art. 68 deixa claro que a retribuição pelos direitos autorais só é cabível nas execuções públicas em locais de freqüência coletiva, o que, definitivamente, não é o caso (conforme dito, trata-se de festa íntima e privada).


Espero aqui ter esclarecido todas as suas dúvidas relacionadas à arrecadação.

Sejam Felizes!


David Dias Delgado
Dir. Comercial
Sunlight Eventos
(11) 2341-0464 / 99993-9405
SUNLIGHT EVENTOS - "Transformando sonhos em realidade..."

empresas para seu casamento

Zero DB

Zero DB

Musical Clave de Sol

Musical Clave de Sol

Leo Kurylo

Léo Kurylo



guia de fornecedores



matérias mais lidas


casamentos de Casamentoclick